sexta-feira, setembro 22, 2006

Quatro Velas
Quatro velas estavam queimando calmamente.
O ambiente estava tão silencioso que podia-se ouvir o diálogo entre elas.
A primeira disse:
- Eu sou a Paz, e apesar da minha luz, as pessoas não conseguem manter-me acesa. Em seguida, a sua chama, devagarzinho, se apagou totalmente.
A segunda disse: - Eu me chamo Fé! Infelizmente sou supérflua para as pessoas. Elas não querem saber de Deus, por isso não faz sentido continuar queimando.
Ao terminar sua fala, um vento bateu levemente sobre ela, e a chama
se apagou.
Baixinho e triste a terceira vela se manifestou: - Eu sou o Amor!
Não tenho mais forças para queimar.
As pessoas me deixam de lado, porque só conseguem enxergar elas mesmas, esquecem até daqueles que estão à sua volta. E também se apagou.
De repente, chegou uma criança e viu as três velas apagadas...
- Que é isto? Vocês devem ficar acesas e queimar até o fim.
Então a quarta vela falou:
- Não tenhas medo, criança. Enquanto eu estiver acesa, poderemos acender as outras velas.

Pausa para reflexão

Quando apagamos as chamas da Paz, Fé e Amor, ainda assim, nem tudo está perdido... Alguma coisa há de ter restado dentro da gente. E isto tem que ser preservado, acima de tudo...
Então a criança pegou a vela da Esperança e acendeu novamente as que estavam apagadas.
Que a vela da Esperança nunca se apague dentro de você.
Ela é a nossa luz no fim do túnel.
O caminho da felicidade precisa, antes, ser pavimentado com esperança...
A felicidade nem sempre bate à nossa porta. Para tê-la é preciso uma busca incessante, e ao encontrá-la ter a coragem de trazê-la para dentro de nós!

(Autor desconhecido)


Meus anjos nestas três últimas semanas tenho sentido a falta destas quatro velas acesas em minha vida, culpei sempre algo ou alguém mesmo sem saber quem era esse alguém ou esse algo externo a mim, estive bastante doente (piorei), e esmoreci muito, chorei, e quase perdi a esperança, e como se isso não basta-se outras coisas ruins vieram para fazer mais estragos e quando quase atingi o fundo do poço chorando e reclamando senti em mim algo nesse momento parei de chorar e alguém com um boa noticia havia chegado e logo em seguida mais outra e foi aí que reparei que o meu mal não era de fora para dentro, mas de dentro para fora.
Por isso aqui deixo as quatro velas acesas com o meu coração, com minha alma e com a luz interior que sempre brilhou, mas que eu não deixava passar para fora.
Aproveito meus anjos para vos desejar um maravilhoso fim de semana e uma semana cheia de paz, amor, harmonia e muita luz em vossos doces corações.
Bjokas mil e xi – corações.

10 Comments:

At 11:08 da manhã, setembro 22, 2006, Blogger A Sonhadora said...

Oi Álvaro bom dia!!!
Obrigada..obrigada..obrigada, querido amigo,por todos os teus comentários ....todos...todinhos no meu blog.Tenho andado com trabalho....muito, mas hoje aqui está o meu tributo,pelas tuas palavras sempre presentes.
Um beijão da sonhadora

 
At 11:40 da manhã, setembro 22, 2006, Blogger Mikas said...

Texto lindissimo.. por vezes as minhas velas também se apagam, mas nada que a esperança nao traga de volta.
Bom fim de semana.
beijinhos.

 
At 5:32 da tarde, setembro 22, 2006, Blogger Luna said...

Como dizes a chama da esperança não de pode apagar, o que te vou dizer não te vai ajudar no entanto, eu tento aceitar todo o mal que me acontece sem me revoltar de mais, acredito que tenho o meu karma a pagar, e só pelo sofrimento acontece, então aceito e agradeço o me darem a oportunidade de poder pagar o que de mal já fiz em outras vidas, assim vivo na esperança de um dia ser só um pouquinho feliz

beijinhos
e as tuas melhoras

 
At 8:34 da tarde, setembro 22, 2006, Blogger Daniel Aladiah said...

Caro Álvaro
Estou feliz por teres as velas acesas de novo. A última nunca poderás apagar...
Um abraço
Daniel

 
At 9:56 da tarde, setembro 22, 2006, Blogger Anjinha said...

Owa :o)

Nunca te esqueças que enquanto há vida há esperança :o)
E só temos pequenas tempestades na vida que nos apagam as nossas velas, para darmos mais valor quando as voltarmos a acender :o)

Um beijinho e bom fim de semana

 
At 4:30 da tarde, setembro 23, 2006, Blogger Por uma lagrima said...

Não é a primeira vez que isto me acontece... fico sem palavras qdo abro determinados blogs...!
E alguns... transmitem-nos uma tal paz espiritual que não dá vontade de sair deles...
Obrigada Álvaro... foi no teu blog que hoje repousei...

 
At 4:16 da tarde, setembro 24, 2006, Blogger sem-comentarios said...

Espero que as tuas velas mantenham-se sempre acesas:)
Bonito esse texto. Como todos aqueles que publicas para nós.

E que a tua alma e luz brilhe sempre com toda essa tua fé de viver.

Jinhos e boa semana ****

 
At 11:17 da tarde, setembro 24, 2006, Blogger Menina do Rio said...

Desejo que estas velas peremeçam sempre acesas em tua vida1

Te deixo um beijo e um convite pra visitar meu cantinho e tomar um café bem brasileiro, apesar de virtual...

Te cuida

 
At 10:48 da manhã, setembro 25, 2006, Blogger Dad said...

Uma boa semana para ti, Álvaro!

Bjinhossssssssss

Ó Álvaro esta cena da verificação das letras é muito maçador!

Isto é preciso para quê???

Pensa lá se não devias retirar isto porque se perde muito tempo...pois as letras às vezes não são perceptíveis para copiar!

 
At 4:35 da tarde, setembro 25, 2006, Blogger cantor said...

Muito bonito o seu blog!

Agradecia se me pudesse linkar porque eu quase não tenho visitas de ninguém e gostaria muito.

Um abração,

 

Enviar um comentário

<< Home